bemvindo@startify.com.br (27) 3019-7996
Sinal amarelo? Acelera!
03/07/2017
0

Exatamente.

Não, tem que frear.

Depende.

Se você é um motorista já se deparou algumas vezes com essa decisão: o que fazer quando o sinal fica amarelo? O código de trânsito brasileiro tem uma resposta clara para essa pergunta. No entanto, a atitude adotada ainda varia de acordo com o bom senso de cada um. E, como o bom senso do meu amigo é diferente do meu, de vez em quando podemos observar (ou vivenciar) as consequências do que acontece quando o bom senso das pessoas se chocam – às vezes, literalmente!

Aqui na Startify temos uma frase muito educativa para quando o resultado de algo depende da variação de ponto de vista das pessoas: se depende F – – EU! Simples assim.

Nas empresas isso se torna ainda mais sério. Quando uma decisão ou atitude a ser adotada “depende”, é sinal de que não existe uma orientação específica e clara que valide esta orientação.

Quando um funcionário deve usar EPI? Se depende…

Quando uma máquina deve passar por manutenção? Se depende…

Quando um funcionário deve ser promovido? Se depende…

Não é sem motivos que desde os primórdios da administração, existe a necessidade de padronizar ações e diretrizes a fim de reduzir a dependência do fator “bom senso” na tomada de decisão. Ainda assim, é possível observar que, mesmo em organizações extremamente padronizadas, existem brechas para o “depende”. O que podemos afirmar, sem sombra de dúvidas, é que não basta que os padrões existam, é necessário que os executantes conheçam e concordem que eles são a melhor solução. O segredo está justamente em promover essa concordância coletiva, também chamada de Alta Concordância.

Pense na última vez em que você se viu totalmente engajado em um projeto. Como isso aconteceu? O que fez você dedicar seu tempo, criatividade e trabalho para que ele desse certo?  Provavelmente este projeto tornou-se atrativo pela oportunidade que lhe foi dada de colaborar com suas ideias e opiniões, fazendo com que você se sentisse parte dele. É exatamente esse sentimento de pertencimento e participação que a alta concordância promove dentro das organizações.  Em nosso workshop de Pensamento Enxuto, falamos muito sobre a importância da alta concordância para implantar ou modificar processos. Temos diversos exemplos de estratégias que as empresas podem adotar para transformar os colaboradores em agentes de mudança e guardiões dos padrões e procedimentos. Todas elas contribuem justamente para a construção de uma cultura de engajamento e colaboração.

Quantas vezes o “depende” foi o orientador de seus processos? Seu carro já sentiu o impacto do “bom senso” alheio?

Será que, se você participasse com ideias, estudos e simulações, você chegaria a mesma conclusão que o nosso código de trânsito? Na sua experiência, qual o melhor uso para o sinal amarelo? Explorar alternativas junto com os envolvidos é o melhor caminho para alcançar a Alta Concordância.

O sinal ficou amarelo. E você o que faz?

Comentários