bemvindo@startify.com.br (27) 3019-7996
O futuro da mobilidade urbana
06/05/2016
0

Em uma conversa informal e despretensiosa com Marcílio Riegert, CEO da Start You Up, fizemos um exercício de reflexão sobre como seria o futuro da mobilidade urbana. Foi um bate papo divertido, e achei o resultado interessante o suficiente para compartilhar por aqui. Espero que vocês concordem comigo. =)

google_driverless_carA conversa foi norteada pela interminável resistência dos taxistas ao UBER e algumas histórias recentes e divertidas sobre como as pessoas estão lidando com a situação. A conversa continuou sobre o quão infeliz é essa briga, considerando principalmente que o futuro das pessoas nesse serviço está com os dias contados: o carro autônomo acabará com essa briga. Nós passaremos a assistir, então, a união de ambos para destruir a propriedade dos outros. Só espero que, pelo menos desta vez, pessoas não machuquem umas às outras.

Mas essa foi a parte fácil do exercício. Caminhamos então para a soma de tecnologias ao carro autônomo, como a internet das coisas e Waze. Ficou claro naquele momento que o congestionamento de veículos no trânsito será algo do passado rapidamente, uma vez que a velocidade e o trajeto dos carros serão coordenados entre eles mesmos para minimizar essas situações. Além disso, colisões serão quase que inexistentes e mesmo a hora de partida será sugerida para que congestionamentos não ocorram. Mas não paramos por aí.

O transporte individual de pessoas em carros é repleto de ineficiências. A proporção de emissão de gases nocivos ao planeta por pessoa transportada, o espaço ocupado pelo veículo nas ruas, e o investimento realizado por um ativo com uma taxa de utilização mínima ao longo do dia são apenas alguns exemplos dessas ineficiências. Os carros elétricos ajudarão a resolver a questão das emissões de poluentes, porém as demais exigirão que o sistema de transporte público seja repensado. A tecnologia já permite que pessoas compartilhem um carro através de serviços chamados de car pool, oferecido inclusive pelo próprio UBER. Agora imaginem quando isso começar a funcionar a partir de uma central única. Você vai agendar a hora e o trajeto (de onde sai e pra onde vai) e os próprios carros se reorganizarão em tempo real para combinar trajetos similares de diversos usuários que compartilharão o mesmo veículo. Será possível atender as chamadas de maneira mais eficiente e garantindo que todos cheguem no horário marcado em seus compromissos. Imagino que essa situação será uma revolução no transporte público de passageiros, especialmente quando essa tecnologia for integrada a outros modais como metrô, ônibus e bicicletas.

Esse foi o resultado da rápida conversa que precisou voltar para os dias atuais mais rapidamente do que gostaríamos. Mas gostaria de estender o papo com você. Qual a sua opinião sobre isso tudo? Acha que chegaremos a viver essa realidade? Que barreiras você enxerga para isso acontecer? Como você resolveria essas barreiras? Se tiver uma boa ideia e achar que vale a pena leva-la adiante, aproveite que o edital da Start You Up está aberto para startups que trabalham com o tema. Essa pode ser a chance de você acelerar a transformação desses devaneios em realidade. ;)

Comentários